Unidade de Dor Torácica salva vida de 95% dos pacientes

Em unidades de emergência comuns, reversão de infartos graves é somente de cerca de 50%

 

          A implantação da Unidade de Dor Torácica – UDT de Rio das Ostras, em 2006, foi uma ação da Secretaria Municipal de Saúde para reduzir a maior causa de morte do município e do País, o óbito por doenças do aparelho circulatório, incluindo o infarto agudo do miocárdio. Hoje, a unidade vem conseguindo salvar as vidas de 95% dos pacientes infartados. Em unidades comuns de emergência no Brasil, as equipes de saúde conseguem reverter somente cerca de 50% dos casos graves de infarto.

         O grande êxito da UDT de Rio das Ostras se deve a alta tecnologia, qualificação dos profissionais e humanização e agilidade do atendimento.

         “Os serviços de emergência sem unidades coronarianas mantêm uma média de 50% a 60% de reversão de infartos severos, em pacientes graves”, explica o diretor do Pronto-Socorro Municipal, Fábio Simões. “A Unidade de Dor Torácica é um diferencial da rede de saúde pública de Rio das Ostras”, completa o médico.

            A Unidade de Dor Torácica é composta por uma equipe multiprofissional, disponível 24 horas, formada por cardiologistas, enfermeiros, técnicos de enfermagem, fisioterapeutas, nutricionistas e assistentes sociais. A Unidade possui todos os equipamentos necessários para receber os pacientes que chegam com dores no peito e possível quadro de infarto ou outras doenças cardíacas. A pessoa é rapidamente atendida, são realizados exames específicos e a intervenção é feita o mais rápido possível. 

         Devido à agilidade do serviço em diagnosticar e tratar a vítima de infarto, chegando à alta media de reversão dos casos. A UDT colabora com os índices de saúde pública e economia do município, uma vez que, restabelece o indivíduo e o torna apto a retomar suas atividades, além de evitar as remoções e os riscos associados. 

         Diferencial – Em um trabalho apresentado no 64º Congresso Brasileiro de Cardiologia, os números da UDT de Rio das Ostras chamaram a atenção. Com base em dados do Sistema Único de Saúde (DATASUS 2002) em todo o País, a estatística de óbitos por infartos em UDTs tem uma média nacional de 13,8%. A Unidade de Rio das Ostras atingiu uma média de 11,5% de óbitos no período de 2007 e 2008. O que significa que o diagnóstico rápido e a preparação da equipe fazem a diferença.

 

 

FONTE: SECOM – PMRO.

Ronet

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.