Rio das Ostras se antecipa ao avanço da dengue na alta temporada

A Prefeitura de Rio das Ostras está trabalhando de forma preventiva, antecipando-se ao esperado aumento dos casos de dengue nos próximos meses.

A Secretaria de Saúde elaborou um plano de contingência, já aprovado pelo Conselho Municipal, com objetivo de reduzir os casos da doença, além de prevenir e controlar uma possível epidemia. Segundo o Governo do Estado, todo o Rio de Janeiro está suscetível à epidemia em 2014, mas Rio das Ostras espera manter a doença sob controle, com um plano de ações definido e apoio da população.

Este ano, o município enfrentou um grande número de casos. Em janeiro, foram 952 notificações e em fevereiro, 1531. A Vigilância em Saúde renovou as estratégias de atuação e o trabalho de campo, passando a concentrar esforços nas áreas com maior incidência. Embora seja esperada a diminuição de casos após a alta temporada (período de calor e com grande fluxo de turistas), o trabalho permanente da Prefeitura, com a colaboração dos moradores, foi essencial para a drástica redução desse número. Em novembro, este número já caiu para 10 casos notificados, tendo somente dois já confirmados.
Para 2014, a Secretaria de Saúde mapeou as áreas com maior risco de avanço da dengue. O mapa identifica 35 localidades que estão mais suscetíveis à incidência da doença, no primeiro quadrimestre.
Com mais de 100 servidores atuando diretamente na prevenção da dengue, o trabalho de campo se divide em 98 zonas, que cobrem 100% dos imóveis da cidade. Os guardas sanitários inspecionam as residências e eliminam depósitos de larvas do mosquito transmissor. Quando não é possível eliminá-los, como no caso de ralos, por exemplos, os locais são tratados. Os moradores ainda recebem telas de proteção para caixas d´água.
Outro aspecto importante do trabalho de saúde se desenvolve a partir da notificação da doença. Uma vez identificado um caso suspeito, essa informação é registrada pela Vigilância Epidemiológica para investigação e a pessoa encaminhada para tratamento na unidade de saúde. Entram em cena as estratégias de bloqueio: para romper o ciclo de transmissão do vírus, uma equipe da Vigilância vai à residência vistoriar possíveis criadouros do mosquito e a ação dos agentes é intensificada no local.
Segundo Jorgito Pinheiro, Coordenador do Programa de Controle da Dengue em Rio das Ostras, mais de 90% dos focos da doença se encontram dentro das residências. “Por isso, a colaboração dos moradores é tão importante. A Prefeitura busca fazer a sua parte e o plano de contingência traça as diretrizes do trabalho para que consigamos atingir as metas. Esperamos reduzir pela metade o caso de dengue na cidade no próximo ano. Mas sem a consciência e participação da população os resultados não serão satisfatórios”, diz o coordenador.
METAS – Além de reduzir em pelo menos 50% o número de casos de dengue em relação a 2013, a meta da Secretaria de Saúde, como descrito no planejamento, é eliminar pelo menos 80% dos possíveis criadouros encontrados.
A Prefeitura espera envolver a maioria das associações de moradores da cidade, além de lideranças de classe, sociais e religiosas. A integração das instituições públicas e privadas, a qualificação dos servidores que atuam direta ou indiretamente no controle da doença e atendimento aos pacientes e a intensificação do trabalho de notificação também são ações previstas para o próximo ano.
EDUCAÇÃO EM SAÚDE – Um diferencial da ação da Vigilância em Saúde de Rio das Ostras são as ações educativas permanentes. O grupo realiza palestras nas escolas, associações de moradores, empresas e escolas. De acordo com o público e faixa etária, a equipe desenvolve atividades lúdicas para falar da importância da prevenção da dengue. As crianças pequenas se divertem e aprendem sobre a doença e o mosquito transmissor a partir de esquetes de teatro desenvolvidas pela própria equipe de Educação em Saúde.
Como se sabe, a mobilização da população é essencial no combate ao mosquito. Nesse sentido, a equipe da Vigilância está presente nos eventos promovidos pela Prefeitura, distribuindo folhetos informativos e orientando visitantes e moradores. A Secretaria de Saúde também tem promovido mutirões e campanhas pela cidade, como forma de esclarecer as pessoas sobre a dengue e suas formas de prevenção.

FONTE:
Departamento de Jornalismo
Secretaria de Comunicação Social

Ronet

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.