Inea e Prefeitura planejam Macrodrenagem do Município

Objetivo é solucionar problemas de alagamentos, como os ocasionados pelo transbordamento de rios e canais

Os resultados das fortes chuvas que atingiram Rio das Ostras nos últimos dias mostraram a necessidade urgente de um projeto de macrodrenagem para o Município. Preocupado com a situação, o prefeito Sabino buscou a parceria do Instituto Estadual do Ambiente – Inea para solucionar os alagamentos, causados, em grande parte, pelo transbordamento do rio Jundiá e Canal de Medeiros. Uma equipe do instituto esteve na cidade nesta quarta, dia 4, quando visitou, acompanhado do prefeito Sabino, rios, lagoas e áreas atingidas pelas chuvas. Segundo o órgão estadual, os estudos de macrodrenagem começam em janeiro de 2014.
Os técnicos também foram acompanhados pelo vice-prefeito, Gelson Apicelo, secretários de Obras, Wayner Fajardo e do Ambiente, Nivaldo Talon, além do presidente da Câmara dos Vereadores, Alzenir Pereira Melo. O grupo percorreu, de barco, os rios das Ostras e Jundiá, além de visitar a Lagoa de Iriry e Fazenda de Itapebussus, local onde a água chegou a 1 metro dentro das casas.
O prefeito Sabino também entregou à equipe do Inea o mapa da cidade e algumas fotos que foram tiradas durante as cheias. No período das chuvas, o nível do rio Jundiá aumentou cerca de dois metros em menos de dois dias. O Canal Medeiros também subiu aproximadamente 1,5 metro.
De acordo com o engenheiro responsável pela Diretoria de Gestão de Água e Coordenadoria de Planejamento Estratégico do Inea, Luiz Paulo Viana, a visita teve o objetivo de verificar de perto a situação do município.
Ele destacou que o Inea já contratou, por meio de licitação, a empresa de consultoria que irá iniciar o trabalho de campo a partir de janeiro. O projeto foi orçado em R$ 1,1 milhão e será custeado pelo Comitê das Bacias Hidrográficas dos rios Macaé e das Ostras e tem previsão de conclusão de um ano.
Só depois deste estudo, que vai retratar a atual situação da cidade e prever panoramas futuros, poderá ser elaborado o projeto para os próximos anos, respeitando as questões ambientais e o crescimento do município. O projeto vai definir os parâmetros da macrodrenagem, que é a retirada do excesso de água do solo, acumulada em grandes áreas.
A cidade tem sua topografia plana e em alguns trechos o solo fica abaixo do nível do mar. No período de chuvas fortes, como os últimos 15 dias, o escoamento é prejudicado. Esses temporais deixaram cerca de 100 pessoas desabrigadas e 27 pessoas ficaram desabrigadas.
PREVENÇÃO – Como forma de minimizar o problema das cheias, ao longo do ano, a Prefeitura vem realizando a limpeza e manutenção de canais do município. Há cerca de 45 dias, as equipes recolheram, ao longo dos 3 quilômetros do Canal de Medeiros, 50 toneladas de lixo, como pneus, sofás e até computadores. Por isso, é tão importante a colaboração dos moradores nesse trabalho preventivo.

FONTE:
Departamento de Jornalismo
Secretaria de Comunicação Social

Ronet

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.