Rio das Ostras elege prioridades para combate à violência

Rio das Ostras promoveu a I Conferência de Segurança Pública nos últimos dia 29 e 30, mobilizando autoridades e vários segmentos da população.
Pela primeira vez a população do município terá suas propostas encaminhadas diretamente ao Ministério da Justiça. O evento faz parte das diretrizes da nova Secretaria Municipal de Ordem Pública e Controle Urbano, que substitui a de Guarda e Trânsito.

A Conferência contou com a participação do prefeito Carlos Augusto, do vice-prefeito, Benedito Wilton (Broder), representantes da justiça federal, do Ministério da Justiça, dos poderes executivo e legislativo municipais, das polícias militar e civil, da sociedade civil organizada e moradores.

O prefeito Carlos Augusto lembrou que o problema da falta de segurança na região é antigo e que só será solucionado quando todos estiverem comprometidos. “Nós estamos fazendo a nossa parte. Construímos a Delegacia Legal, estamos fazendo a sede da companhia de Polícia Militar e dos Bombeiros, além de reestruturarmos a nossa guarda municipal. Mas precisamos da participação de todos”, frisou.

Os participantes elegeram sete princípios e 21 prioridades, que serão encaminhadas para Brasília. Entre as principais propostas apresentadas, uma das mais votadas foi a municipalização da segurança.

Os princípios e propostas eleitos serão encaminhados para o Ministério da Justiça e expostos durante a Conferência Nacional de Segurança Pública, que acontece de 27 a 30 de agosto, em Brasília. “A discussão aqui não é sobre armamento e policiamento. É sobre a vida. Rio das Ostras está de parabéns por ser um dos únicos municípios a promover essa conferência tão importante para a implementação de uma nova política de segurança nacional”, analisou a representante do Ministério da Justiça, Verônica dos Anjos.

O secretário de Ordem Pública e Controle Urbano, Cel. Sérgio Pinto, frisou a importância histórica do evento. “O Governo Federal entendeu que a população deve ser ouvida e estamos muito otimistas quanto aos resultados”, ressaltou, citando o exemplo de Rio das Ostras: “Aqui no município adotamos esse modelo de segurança com o apoio do morador – através das reuniões de conselhos e as promovidas na sede da secretaria – e vemos resultado”.

Grupos de discussão- No sábado, dia 30, no Colégio Municipal Professora América Abdalla, em Nova Esperança, o coronel Edmilson Jório, coordenador do Gabinete de Gestão Integrada da Prefeitura de Macaé, falou dos objetivos das conferências municipais, lembrando da importância das ações integradas. “A proximidade física de Macaé e Rio das Ostras e a semelhança de fatores psicossociais e humanos comprovam que a discussão sobre segurança pública deve ser regionalizada. A violência é migratória e, se combatemos o problema apenas numa região, a violência migra para outra”, afirmou o coronel Jório.

Os cerca de 160 participantes foram divididos em grupos de discussão, com os temas: Gestão Democrática; Financiamento e Gestão de Política Pública de Segurança; Valorização Profissional e Otimização das Condições de Trabalho e Prevenção Social do Crime e das Violências e Construção da Cultura de Paz.

Presenças – Também estiveram presentes na conferência a juíza federal da primeira Vara de Macaé, Angelina Costa, secretários municipais e os vereadores Alcemir Jóia, presidente da Comissão de Segurança da Câmara Municipal, Ademir Mendes, Alex Cabral, Alzenir Pereira, Carlos Afonso, e Luiz Gomes.

FONTE: SECOM – PMRO.

Ronet

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.