Rio das Ostras apaga as luzes contra o Aquecimento Global

Evento simbólico aconteceu dia 27, em adesão à Hora do Planeta

No último sábado, 27 de março, a população de Rio das Ostras mostrou mais uma vez que é atuante nas questões ambientais. Dezenas de pessoas se reuniram na Praça José Pereira Câmara, no Centro, para o ato simbólico contra o aquecimento global – a Hora do Planeta. Das 20h30 às 21h30, ao mesmo tempo que várias outras cidades do mundo, Rio das Ostras apagou as luzes da praça, da ponte estaiada e da sede da Prefeitura.

Tochas foram acesas na praça José Pereira Câmara e ao belo som da Banda da Guarda Municipal, crianças e adultos participaram do evento, promovido em todo o mundo pela ONG de conservação da natureza WWF. Em Rio das Ostras, a mobilização ficou por conta do Núcleo de Educação Ambiental – Neam, parceria das secretarias de Educação e Meio Ambiente.

Participaram do evento os secretários de Meio Ambiente, Max Almeida, de Educação, Maria Lina Paixão, o coordenador de controle urbano, Miguel Narcizo, representando o secretário Cel. Sergio Pinto, de Ordem Pública e Controle Urbano, a coordenadora do Neam, Claudia Corrêa e a coordenadora de jornalismo, Luciane Chame, representando a secretária de Comunicação Social, Carla Soares.

Conscientização – Houve ainda a participação da Reserva Biológica União, Consórcio Intermunicipal da Macro Região Ambiental 5 (MRA-5), que inclui os rios Macaé e das Ostras, ONG Mare – Meio Ambiente, Respeito e Esporte e Programa Jovem Cidadão, da Secretaria de Bem-Estar Social, do Centro de Educação Popular de Rio das Ostras – Cepro.

Participante do projeto ambiental do Cepro, Maria de Fátima Abreu, de cinco anos, já compreende a importância do movimento. “A gente tá aqui porque precisa cuidar do planeta”, diz a menina.  Aos sete anos, Robson Grilo também sabia porque estava ali. “A gente tem que amar o mundo pra ser feliz. Cuidar pra não gastar água, não jogar lixo no rio”, diz o menino, com a certeza de quem está se preparando para o futuro.

No Brasil e no mundo – A Hora do Planeta começou em 2007, envolvendo apenas moradores de Sidney, na Austrália. Este ano, de norte a sul do Brasil, monumentos foram apagados e em várias casas, foram acesas velas para demonstrar a disposição em combater o aumento médio na temperatura global e apoiar a conservação de ecossistemas terrestres e aquáticos. Segundo a WWF, 125 países aderiram à Hora do Planeta, 4211 cidades e 56 capitais e 1387 pontos turísticos, como o Cristo Redentor, no Rio de Janeiro, a Torre Eiffel, na França, a Torre de Pisa, na Itália, e o Palácio do de Buckingham, na Inglaterra.

 

FONTE: Secretaria de Comunicação Social

Ronet

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.