Novembro Azul em Rio das Ostras começa com ações de saúde

Abertura aconteceu nesta sexta, dia 1º, na sede da Prefeitura, convocando os homens a cuidar da saúde

Uma cerimônia nesta sexta, dia 1º, lançou oficialmente o Novembro Azul em Rio das Ostras, com a presença de gestores, servidores municipais e população. O movimento, dedicado à saúde do homem, busca estimular o público masculino a procurar as unidades de saúde para se prevenir de doenças. Durante todo o mês, ações como verificação de glicose e pressão arterial, além de palestras e orientação de saúde, acontecem nas unidades básicas.
Na mesma linha do Outubro Rosa, mobilização internacional pela saúde da mulher, o Novembro Azul conta com programação em várias cidades do mundo, chamando a atenção para a importância da prevenção de doenças, incluindo o câncer de próstata. O mês foi escolhido porque reúne o Dia Mundial do Diabetes, em 14 de novembro, de Combate ao Câncer de Próstata, 17, e o Dia Internacional do Homem, em 19 de novembro.
“Os homens, em geral, vivem pelo menos sete anos a menos que as mulheres e são mais suscetíveis a doenças do coração, diabetes e hipertensão. Outro dado importante é que, no Brasil, a cada três mortes por causas naturais, duas são de homens. Passou da hora de superarmos a resistência dos homens em se cuidar e mudarmos essa cultura que entende como sinal de fragilidade procurar o atendimento de saúde”, falou a secretária Ana Cristina Guerrieri.
O coordenador do Programa de Saúde do Homem, Maycon Verdan, lembrou do papel das mulheres nessa mudança de cultura. “Vocês mulheres devem incentivar seus filhos, marido, namorado a procurar as unidades de saúde”, completou Maycon.
Assim como no Outubro Rosa, também no Novembro Azul é escolhido um homenageado que represente a causa. Quem recebeu a homenagem foi o enfermeiro obstetra da rede municipal Carlos Olivé, que superou um câncer de próstata, descoberto em 2011. “Nós homens não podemos ter medo de procurar o médico. Se eu não tivesse buscado atendimento logo no início, a doença teria avançado”, contou.
Aos 21 anos, Gabriel de Oliveira é exceção. Preocupado com o histórico familiar e com a alimentação desregrada, hábito que ainda não conseguiu modificar, ele busca atendimento de saúde periodicamente. Pelo menos duas vezes ao ano vai ao clínico geral e realiza os exames. “Eu fico preocupado com a saúde, faço exames de glicose, colesterol… Como minha mãe e meu pai têm pressão alta, também fico atento a isso”, disse Gabriel, que aferiu pressão e glicose no evento de abertura do Novembro Azul.

FONTE:
Secretaria de Comunicação Social
Departamento de Jornalismo

Ronet

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.