Nova obra do Projeto Reviver tem capacidade para atender a mais 150 mil pessoas

Construção da Estação de Tratamento de Esgoto, que pode tratar 570 litros por segundo, foi finalizada esta semana

A ampliação da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) de Rio das Ostras, uma das etapas do Projeto Reviver– maior conjunto de obras de infra-estrutura do país– terminou essa semana e já está em funcionamento.

A estação, que fica no Jardim Mariléa, terá capacidade para tratar 570 litros de esgoto por segundo e atender cerca de 250 mil pessoas. Foram construídos mais quatro reatores que operam com outros dois que atendiam o município. A ETE tinha capacidade de tratar 180 litros por segundo e atender 100 mil habitantes.

A nova Estação de Tratamento processa o esgoto que chega até o local através das redes coletoras e de caminhões limpa-fossa. Todo o resíduo passa por um tratamento primário na Estação Elevatória de Esgoto Bruto e na Caixa de Areia, onde fica retida a parte sólida do esgoto. O material é acondicionado em contêineres e enviado ao aterro sanitário da cidade.

Em seguida, o esgoto vai para os reatores, onde passa por um processo biológico. Nesse momento forma-se uma camada de lodo, que se separa do efluente líquido tratado. Esse material é encaminhado à Estação Elevatória de Esgoto, seguindo pelos emissários terrestre e submarino e, em seguida, descartado ao mar com cerca de 80% de pureza, a quatro mil metros da costa.

Já o lodo formado nos reatores é acondicionado nos geobags e, em seguida, enviado ao Aterro Sanitário, podendo inclusive, depois de seco, ser utilizado como adubo orgânico.

Os gases formados durante o processo biológico também recebem um destino seguro. Eles são tratados e encaminhados à Central de Queima de Gases, evitando que sejam lançados na atmosfera.


FONTE: Secretaria de Comunicação Social

Ronet

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.