Invasores são retirados de área pública

Moradores já tinham sido notificados três vezes e local corria risco de desabamento

Cerca de 15 invasores foram retirados na manhã da última quinta-feira, dia 4, de uma área pública na localidade do Jardim Mariléa. Os invasores, que já haviam sido notificados pela Procuradoria Municipal para desocupar a área três vezes, saíram pacificamente. No local, serão construídos uma escola e um posto de saúde.

 De acordo com Tenente Coronel Sérgio Pinto, secretário de Ordem Pública e Controle Urbano, a Prefeitura está coibindo invasões e construções irregulares que colocam em risco à população e favelizam as localidades. “A Guarda Municipal, a fiscalização de Obras e Ambiental atuam em conjunto para impedir que essas invasões aconteçam. Em áreas particulares é necessário que o proprietário acione a justiça. Já em áreas públicas, como foi o caso, ou ambientais nós temos o dever de retirá-los para zelar pelo patrimônio público”, frisou.

 Segundo o subsecretário de Obras, Alan Canto Ribeiro, as famílias invasoras não eram moradoras de rua. “São pessoas que trabalham, tem motos, carros e eletrodomésticos, como TVs de 29 polegadas, por exemplo. Ou seja, possuem condições financeiras de pagar por moradia”, destacou, enfatizandoque os invasores corriam risco de vida no local. “A área está desativada há anos, então não passava por manutenção. Uma das construções corria o risco de desabar e ainda havia o perigo de curto-circuito, uma vez que todas as ligações elétricas eram clandestinas”.

FONTE: Secretaria de Comunicação Social

Ronet

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.