Gripe Suína: Rio das Ostras prepara rede de Saúde

Rio das Ostras prepara rede de Saúde para novo modelo de atendimento à gripe suína

Município segue padrões do Ministério da Saúde e age de forma preventiva, já que não registra casos da doença

 

Com a expansão no País do vírus H1N1, causador da gripe suína (influenza A), o Ministério da Saúde passou a indicar novos fluxos de atendimento a casos suspeitos da doença. Mesmo sem registrar nenhum paciente com a nova gripe, Rio das Ostras está adequando sua rede às recomendações do Governo Federal, de forma preventiva.

“As ações da Secretaria de Saúde para enfrentar a nova gripe, que incluíram capacitação de técnicos e ampla informação a moradores e profissionais da rede, foram reconhecidas e elogiadas pela Secretaria Estadual de Saúde. Com as novas determinações do Ministério, estamos fazendo os ajustes necessários. A população pode continuar tranquila”, disse o secretário de saúde Sérgio Manhães.

Novo protocolo – Durante os últimos dois meses a estratégia do Ministério da Saúde para enfrentamento da influenza A foi baseada em medidas de contenção – identificação precoce, tratamento e isolamento de casos e acompanhamento das pessoas que tiveram contato com o doente. Atualmente, o Governo Federal estipulou medidas mais integradas de monitoramento da situação epidemiológica, priorizando a assistência aos casos graves ou com potencial de complicação.

         Responsável pelo fluxo de atendimento à gripe suína em Rio das Ostras, a médica Jane Teixeira explicou que o município segue as recomendações e passa a priorizar os pacientes que apresentem sintomas da gripe associados a fatores de risco, como gestantes, crianças menores de dois anos, pessoas acima de 60 anos, pacientes com problemas de imunidade – como os portadores de HIV, de diabetes e câncer.

         “A internação não será recomendada para todos aqueles com sintomas da gripe, somente para os casos de doença respiratória grave”, completa a médica. Os casos mais leves serão acompanhados: o paciente é atendido e deve voltar em 48 horas à unidade para nova consulta.

         Importante destacar que a influenza A tem baixo índice de letalidade – no mundo todo, o número de pessoas que morrem ao contrair o vírus é de 0,5%. No entanto, a nova gripe tem uma rápida evolução, por isso a necessidade de buscar logo o atendimento de saúde.

Atendimento prioritário – Como os sintomas da nova gripe são semelhantes aos da gripe comum, toda pessoa gripada (com sintomas) deve buscar atendimento nas unidades de saúde. Não é necessário ir ao Pronto-Socorro; os postos de saúde de Rio das Ostras estão preparados para atender a esses pacientes, que terão prioridade.

“As pessoas devem buscar os postos de saúde. Na chegada do paciente será feita uma triagem e os casos de gripe terão prioridade”, esclarece a enfermeira e coordenadora da área de Atenção Básica da Secretaria de Saúde, Nazareth Correa.

Medicamento – O Ministério da Saúde proibiu a comercialização de medicamento específico para essa doença no País. Isso porque não existe comprovação científica da eficácia do remédio. “O remédio não mata o vírus. A cura depende da imunidade do paciente”, explicou a subsecretária de saúde, a médica Vilma Teixeira.

FONTE: SECOM – PMRO.

Ronet

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.