Alerta sobre tráfego de motos em Unidades de Conservação

O Departamento de Proteção Ambiental (Depa) da Secretaria de Guarda e Trânsito da Prefeitura de Rio das Ostras alerta sobre o tráfego de motocicletas em Unidades de Conservação do município, danificando o meio ambiente.

– Nos últimos dias recebemos denúncia que motociclistas estavam praticando “rally” nas restingas, passando por cima de bromélias e cactos. Os motociclistas não respeitam as placas de proibição ecológica que estão espalhadas por todos os lados nas entradas das unidades – disse o diretor do Depa, Sargento Rangel.

Em Rio das Ostras existem várias Unidades de Conservação como a Área de Preservação Ambiental (APA) de Iriry, Reserva Biológica da União na mata atlântica (REBIO-UNIÃO), Área de Preservação Ambiental e Monumento Natural dos Costões Rochosos que abrangem os manguezais, restingas e as praias, respectivamente.

O Sargento Rangel alerta que o trânsito de veículos pode matar plantas e animais que estão nas praias, costões rochosos ou nas restingas. Alguns pássaros, como a coruja-buraqueira, encontrada na restinga de Rio das Ostras, fazem seus ninhos no chão. “O problema é que essas corujas moram em túneis com até um metro de profundidade, escavados na areia, e essa frágil moradia normalmente desmorona com a pressão causada pela passagem dos veículos, matando mães e filhotes por asfixia”, explica o biólogo do Depa, Éderson da Silva Rodrigues.

A prática de “rally” nas Unidades de Conservação é crime ambiental contra a fauna e flora, previsto no Artigo 29 da Lei da Natureza que diz no inciso II: quem modifica, danifica ou destrói ninho, abrigo ou criadouro natural; a pena é detenção de seis meses a um ano e multa que pode ser aumentada de metade, se o crime é praticado em Unidade de Conservação.

Quem tiver alguma denúncia sobre maus tratos ao meio ambiente e aos animais, pode ligar para os telefones 1532 ou (22) 2760-6236.

FONTE: SECOM – PMRO. 

Ronet

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.