Advogada de Rio das Ostras vence competição nacional de empreendedorismo

Advogada de Rio das Ostras vence competição nacional de empreendedorismo

Durante o Programa Elas Prosperam, que tem como foco capacitar mulheres negras empreendedoras, a advogada Mariângela de Castro competiu com iniciativas de todo o Brasil

Uma advocacia completa e sustentável, apostando na mediação dos conflitos e na redução de despesas judiciais. Esta foi a proposta da advogada Mariângela de Castro, que elevou o nome de Rio das Ostras para o cenário nacional nesta semana. A empresária foi uma das vencedoras da terceira edição do Programa Elas Prosperam, desenvolvido pela Rede Mulher Empreendedora (RME) com o apoio da Visa, que capacita mulheres negras empreendedoras do País. Na fase final, a riostrense competiu com iniciativas do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo, Maranhão, Pernambuco e Rondônia. As cinco primeiras colocadas ganharam um “capital semente” no valor de R$ 10 mil para investir em seus empreendimentos.

De acordo com a advogada, Mariângela de Castro, estar diante de profissionais que atuam em grandes organizações foi um dos motivos que a encorajou a competir. “Todo o processo me fez crescer bastante enquanto empresária, pois me ajudou a identificar erros, bem como aprimorar a minha estratégia para prospectar clientes e atuar no marketing digital. Estar entre as vencedoras significa que meu negócio está maduro. Isso demonstra que além de ser viável, a minha empresa vale investimentos sólidos e de fontes importantes”, diz a CEO da De Castro Advocacia, que já participa da Rede Mulher Empreendedora há três anos.

Em sua apresentação final, a advogada defendeu os reflexos inovadores do seu escritório, que atua de forma completa e sustentável para entregar soluções jurídicas céleres e de baixo custo emocional. “Em média a definição de uma sentença leva cerca de quatro anos. Entretanto, nos últimos seis anos, conseguimos obter 70% dos casos resolvidos em até seis meses por meio de mediação, consenso e negociação. Atuação que vem ao encontro do Código de Processo Civil, que incentiva a judicialização apenas do necessário. Isso representa ainda uma economia para os clientes de cerca de 25% de gastos relacionados com as despesas judiciais”, completa, ao relembrar que já atuou em aproximadamente 250 processos.

Na terceira edição foram mais de 1,2 mil inscrições. A competição foi divida em quatro etapas. Na primeira, aconteceu a capacitação por meio da participação de eventos online com temas relacionados ao fortalecimento de competências socioemocionais, finanças e transformação digital. Em seguida, as candidatas apresentam seus negócios para uma banca de jurados composta por especialistas na busca por uma vaga na fase de aceleração. A Mentoria é a terceira fase. Nela, as inscritas contaram com a mentoria de especialistas da RME e da Visa, como o country manager desta empresa, Nuno Lopes. Neste momento, são abordados temas como planejamento financeiro, vendas e relacionamento com cliente. Por fim, as finalistas entraram em cena para concorrer ao capital semente de R$ 10 mil.

PROJETO – O Programa Elas Prosperam possibilita mentoria e educação empresarial, que fornece ferramentas e suporte para que as selecionadas possam levar seu negócio a um novo patamar. Um dos objetivos é criar redes locais de empreendedoras em diversas regiões do Brasil, por meio de lições de empreendedorismo e educação financeira, além de mentorias temáticas. Já a Rede Mulher Empreendedora (RME), executora da ação com o apoio da Visa, existe há dez anos e conta com 750 mil empreendedoras espalhadas pelo Brasil. A RME tem reconhecimento tanto no Brasil quanto no exterior e colabora para gerar dados e pesquisas de referência para criação de políticas públicas para o segmento.

——

Magno Lopes

Ronet

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.