Rio das Ostras prioriza acolhimento a pacientes com transtornos mentais

Projeto de Residência Terapêutica foi aprovado pelo Conselho Municipal e propõe a criação de moradias

Na última reunião do Conselho de Saúde de Rio das Ostras, foi aprovada a implementação do Projeto de Residência Terapêutica em Saúde Mental. A proposta é de criação de moradias para os cidadãos atualmente internados em hospitais psiquiátricos. Essas casas podem ainda servir de apoio a pacientes de outros serviços de Saúde Mental do município.

O projeto prevê a criação de duas residências terapêuticas, uma simples e outra de cuidados intensivos, para pacientes que não têm condições de realizar de forma autônoma suas atividades diárias. O programa garante aos portadores de transtornos mentais o direito à cidadania, saúde e moradia, trazendo os ex-internos de volta ao convívio social.

A Residência Terapêutica está alinhada à atual proposta do Ministério da Saúde de promover o tratamento do portador de transtornos mentais sem privá-lo da convivência com a família e com a comunidade. Além disso, o recente descredenciamento do Hospital Colônia de Rio Bonito tornou urgente a criação de serviços de acolhimento para os internos de Rio das Ostras. Essa instituição abriga a maior parte de pacientes desse município em situação de longa permanência.

Desde 2005, a equipe de saúde mental de Rio das Ostras faz o acompanhamento sistemático dos pacientes internados em hospitais psiquiátricos. Esses abrigos deverão estar vinculados aos Caps (Centro de Atenção Psicosocial) e receberão recursos do Governo Federal, tanto para sua instalação quanto para manutenção.

 

Apoio do PSF – O Programa Saúde da Família tem um importante papel nesse projeto. O acompanhamento na residência é realizado pelos agentes comunitários de saúde, com apoio da equipe de saúde mental. A equipe do PSF também fará o atendimento de clínica geral. Os moradores da residência serão atendidos por cuidadores, com capacitação para esse trabalho, técnicos de enfermagem e auxiliares de serviços gerais, além do monitoramento técnico por 24 horas.

 

FONTE: SECOM – PMRO. 

Ronet

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.