Rio das Ostras avança para o sexto lugar em Índice de Qualidade dos Municípios

Emancipada há 14 anos, cidade subiu 17 posições no ranking em 7 anos

Rio das Ostras é uma das cidades que mais cresce no estado do Rio de Janeiro. Os royalties do petróleo, responsáveis por 80% da receita, contribuem com os bons índices.

No entanto, a preocupação em aplicar estes valores em benefício da população tem sido um dos maiores empenhos da Prefeitura de Rio das Ostras. Uma prova de que a cidade está no caminho certo é o fato de ter subido 17 posições no Índice de Qualidade dos Municípios (IQM) em sete anos, alcançando a 6ª posição no ranking divulgado pela Fundação Centro de Informações e Dados do Estado (Cide).

Emancipada há 14 anos, Rio das Ostras vem investindo em cultura, lazer, educação, saúde, saneamento básico, entre outras prioridades. Inaugurou recentemente um sistema único no Brasil no tratamento conjunto de lodo e chorume. Até o final de 2007, o emissário submarino da cidade, que faz parte do Sistema de Esgotamento Sanitário, lançará esgoto tratado a uma distância de 3,8 km da costa. Os moradores, que também foram beneficiados com um moderno hospital municipal, inaugurado em dezembro de 2004, contam com escolas de esporte e Centro de Formação Artística de Música, Dança e Teatro. Sem falar nos grandes eventos, como o Rio das Ostras Jazz e Blues Festival e o Ostras Cycle, que atraem ainda mais turistas e negócios para a região.

Ocupando o terceiro lugar no indicador dinamismo da economia local do IQM desde 1998, Rio das Ostras subiu da 12ª para a 9ª posição em riqueza e potencial de consumo. A cidade pulou do 41° para o 16º posto em facilidades para negócios e do 40º para 21º na qualificação da mão-de-obra. A cidade melhorou também em infra-estrutura para grandes empreendimentos e em riqueza e potencial de consumo, passando, respectivamente, do 35º para o 20º e do 12º para o 9º lugar. Outros indicadores classificados pelo Cide são centralidade e vantagem da localização geográfica e cidadania.

RANKING – O Rio de Janeiro continua em primeiro lugar no IQM, seguido de perto por Niterói, ex-capital do estado. Mas o crescimento aponta para o Interior, como ficou provado no IQM 2005. Segundo a análise do Cide, “a Região Metropolitana depara-se atualmente com o fenômeno da desconcentração industrial, com perdas na capacidade produtiva e na geração de empregos”. A fundação afirma que “novas posturas adotadas pelos agentes sociais e políticos locais” vem gerando processos de industrialização e formas de relação/integração entre os municípios do interior renovados. Como exemplo cita a atividade de extração de gás e petróleo que em 1998 contribuía com 2% do PIB do estado do Rio de Janeiro e hoje responde por 20%.

Na lista dos 10 melhores no IQM do estado do Rio de Janeiro, depois do Rio e Niterói, estão classificados, nesta ordem, Macaé, Volta Redonda, Resende, Rio das Ostras,Porto Real, Casimiro de Abreu, Campos dos Goytacazes e Duque de Caxias.

 FONTE: SECOM – PMRO.

Ronet

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.