Polícia soluciona caso da morte da menina Gabrielly em Rio das Ostras

Investigação durou menos de um mês. Acusado já foi apresentado na tarde desta terça-feira , dia 30

A morte da menina Gabrielly Batista da Silva, de 2 anos, crime que chocou Rio das Ostras e ganhou às páginas da imprensa no País, já foi solucionado pela Polícia local. Há menos de um mês do assassinato, a delegada da 128º Delegacia de Polícia Civil de Rio das Ostras, Carla Tavares, apresentou nesta terça-feira, 30, o laudo da perícia que revela o autor do crime.

O laudo pericial aponta que Marcos de Souza Silva, 21 anos, conhecido na localidade como “Mudinho”, foi responsável pela morte de Gabrielly no último dia 6. A criança foi violentada e morta. O fato ocorreu durante a madrugada e o corpo só foi encontrado cinco dias depois dentro de uma obra que fica a menos de 500 metros da casa dos pais, que residem no Âncora.

Abatido com esse fato que abalou toda a comunidade, o prefeito Sabino pediu empenho das autoridades na solução do crime. O trabalho da Polícia foi ágil e contou com o apoio da Chefe da Polícia Civil, a delegada Martha Rocha, que atendeu a solicitação do prefeito e solicitou rapidez no resultado do exame pericial realizado pelo Instituto de Pesquisas Genética Forense, no Rio de Janeiro.

INVESTIGAÇÃO – O resultado do exame de DNA apontou que material genético recolhido encontrado no corpo da menina é compatível com o do Marcos de Souza Silva. A Polícia Civil chegou até o autor do crime por meio do depoimento de pessoas do local. Ele já havia sido detido no mesmo dia do crime, por volta das 12h, por conta de furto a uma residência e, dada as circunstância da investigação, a delegada Carla Tavares pediu a prisão preventiva, que foi acatada pelo Ministério Público.

O depoimento de um pedreiro da obra onde foi encontrado o corpo de Gabrielly foi fundamental para fechar o cerco contra o criminoso, que era apontado no Âncora como usuário de crack. Ele se utilizava do local para consumir a droga. Nesse mesmo local, também foi encontrado uma panela, que dias antes tinha sido furtada do interior da casa da Gabrielly.

A Polícia Civil também teve acesso a imagens de uma câmera de segurança de uma empresa próximo ao local do crime que mostra que o principal suspeito estava nas proximidades da residência. A delegada acredita que a menina estava na rua na madrugada do crime diante da dinâmica dos fatos, contradizendo com o que foi alegado pelos pais da menina. Marcos de Souza já está detido na Casa de Custódia Carlos Tinoco da Fonseca, em Campos, e sua prisão temporária será solicitada nas próximas horas pela delegada Carla Tavares.

FONTE:
Secretaria de Comunicação Social
Departamento de Jornalismo

Ronet

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.