Olimpíada de Astronomia reuniu 1,3 mil alunos

Rio das Ostras marcou presença na Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica com a participação de aproximadamente 1,3 mil alunos de 11 escolas da rede pública municipal.

 

A cidade integrou a competição em quatro diferentes níveis (2º e 3º anos do Ensino Fundamental; 4º e 5º anos do Ensino Fundamental; 6º a 9º ano do Ensino Fundamental e Ensino Médio). Os estudantes, que realizaram a prova no último dia 15 em suas próprias unidades de ensino, aprovaram a iniciativa.

“Gosto de ler sobre Astronomia e pesquisei nos livros que minha mãe tem lá em casa. Pensei que a prova ia ser difícil, mas achei fácil”, conta Luís Miguel Montoya, de 10 anos, aluno do 5º ano da Escola Municipal Maria da Penha de Oliveira, no Palmital.

Milena Tavares e Valter Martins, ambos de 10 anos e colegas de turma do 5º ano no Instituto Municipal de Educação de Rio das Ostras (Imero), em Nova Cidade, também não tiveram dificuldade. “Nosso professor já tinha falado de Galileu Galilei, que inventou o telescópio, e das viagens espaciais”, conta Milena.

 

Preparação – Com o objetivo de preparar e motivar os alunos a participar da Olimpíada, o professor da sala de informática do Imero, Thiago Amparo, reuniu os principais conteúdos da prova em uma apresentação de Power Point. “Além de passar os conteúdos, nos preocupamos em incentivar os estudantes a pesquisar em livros e Internet”, conta Thiago.

Um trabalho semelhante foi realizado por Cláudia Helena Azeredo Cruz, professora da sala de informática da Escola Maria da Penha de Oliveira. “Como nossos alunos participaram também das olimpíadas de Informática e Matemática tiveram mais estímulo para disputar a de Astronomia”, acredita Cláudia.

 

Estímulo – A Olimpíada é realizada pela Agência Astronômica Brasileira, Agência Espacial Brasileira e por Furnas Centrais Elétricas com o apoio do Ministério da Educação e do Ministério de Ciência e Tecnologia. O objetivo, mais do que avaliar o que aluno já sabe, é estimular o estudo dessas ciências e ensinar. Todos os alunos recebem um certificado, as escolas uma luneta e materiais didáticos. Os 60 melhores classificados do nível 3 e 4 vão participar de um curso de astronomia, sendo que cinco desses serão solicitados para representar o Brasil na Olimpíada Latino Americana de Astronomia e outros cinco, para a Olimpíada Internacional de Astronomia e Astrofísica.

 

FONTE: Secretaria de Comunicação Social

Ronet

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.