Mutirão de combate à dengue mobiliza Jardim Mariléa

Ação reuniu moradores e servidores de várias Secretarias de Governo

A caça ao mosquito da dengue já começou no Jardim Mariléa. Um mutirão conjunto entre a Associação de Moradores e as Secretarias Municipais de Saúde; de Meio Ambiente, Agricultura e Pesca; e de Serviços Públicos promoveu, no último sábado, ações preventivas contra a doença.
Os moradores receberam folhetos explicativos com ações simples que podem fazer em suas casas para evitar o acúmulo de água e, consequentemente, a proliferação do mosquito. Os servidores da Vigilância em Saúde aplicaram larvicida em áreas de risco que possam se tornar criadouro de mosquitos e tamparam reservatórios e caixas d´água com telas. Uma equipe da Secretaria de Serviços Públicos também efetuou limpeza em bueiros e terrenos com lixo e entulhos, possíveis criadouros do Aedes Aegypti.
De acordo com a presidente da Associação Moradores do Jardim Mariléa, Sônia Tojal, a ação foi um grande sucesso. “Precisamos ter a consciência de que todos temos que contribuir e esta iniciativa é para mobilizar todo o bairro e orientar sobre a importância do problema”, disse.
Para Rosa Vieira, moradora do bairro, o mutirão foi importante porque informou muitos moradores. “Muitas pessoas ainda não têm conhecimento dos riscos, não sabem qual providência tomar ou fazem errado. Foi muito proveitosa esta ação”, esclareceu.
Segundo Amarildo Rios, chefe da divisão de Controle de Vetores, essa iniciativa da Associação de Moradores do Jardim Mariléa deveria servir de exemplo para outras entidades. “A participação da população é muito importante no combate à dengue. Não adianta o Poder Público trabalhar se o povo também não fizer a sua parte. Este é um exemplo a ser seguido por todos”, declarou.
 
PREVENÇÃO – A Secretaria de Saúde mantém um programa contínuo de combate à dengue na cidade, com visitas periódicas aos imóveis. A Prefeitura chama a atenção para os cuidados que todos precisam ter, principalmente no verão, quando aumenta a proliferação do inseto vetor. O trabalho é permanente durante todo o ano, com visitas domiciliares, utilização do carro fumacê, recolhimento de pneus e colocação de telas nos possíveis criadouros, visitas aos pontos estratégicos como ferro-velho, cemitérios e borracharias, além do uso do Aerosystem – um tratamento intensivo para locais de grande infestação de mosquitos.

FONTE:
Secretaria de Comunicação Social
Departamento de Jornalismo

Ronet

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.