Mutirão de combate à dengue acontece no próximo sábado

Equipes da Prefeitura estarão no Jardim Mariléa, a partir de 10h, mobilizando moradores e realizando atendimentos

Rio das Ostras vem mantendo os menores índices de dengue no Estado, mesmo localizada entre áreas com altos níveis da doença. Este ano, não foi registrado nenhum caso no município, resultado de um trabalho preventivo contínuo. Como uma das ações de prevenção, a Prefeitura realiza no próximo sábado, 29, às 10h, um grande mutirão de combate à dengue no Jardim Mariléa, em parceria com a Associação de Moradores.

         Equipes da Secretaria de Saúde estarão no local orientando os moradores, distribuindo material informativo e mobilizando a comunidade. Também haverá o pronto-atendimento em caso de necessidade – profissionais da Vigilância em Saúde farão a aplicação do larvicida e colocação de telas em caixa d´águas ou outros reservatórios que possam se tornar criadouros do mosquito. A concentração serã na rua Barra Mansa, esquina com Jane Maria Martins Figueira.

         “Realizamos um trabalho contínuo de prevenção e de educação em Saúde e a parceria com os moradores é fundamental para que mantenhamos a cidade livre da doença”, explica Amarildo Rios, chefe da divisão de Controle de Vetores. Além do trabalho regular, a Secretaria de Saúde está aberta a solicitações da comunidade, como fez a Associação de Moradores do Jardim Mariléa – Amomar, que procurou a Prefeitura para propor o mutirão deste sábado.

         A Secretaria de Serviços Públicos também vai participar do mutirão, fazendo uma limpeza especial de bueiros e dos terrenos com lixo ou entulho, possíveis criadouros do Aedes Aegypti. Também a Secretaria de Ordem Pública e Controle Urbano dará apoio à ação.

         PREVENÇÃO – A Secretaria de Saúde mantém um programa contínuo de combate à dengue na cidade, com visitas periódicas aos imóveis. A Prefeitura chama a atenção para os cuidados que todos precisam ter, principalmente no Verão, quando aumenta a proliferação do inseto vetor. O trabalho é permanente durante todo o ano, com visitas domiciliares, utilização do carro fumacê, recolhimento de pneus e colocação de telas nos possíveis criadouros, visitas aos pontos estratégicos como ferro-velho, cemitérios e borracharias, além do uso do Aerosystem – um tratamento intensivo para locais de grande infestação de mosquitos.

 

 

FONTE:
Secretaria de Comunicação Social
Departamento de Jornalismo

Ronet

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.