DEPA realiza soltura de jacaré na Reserva União

O animal foi recolhido em uma rua do bairro Extensão Serramar

Guardas municipais do Departamento de Proteção Ambiental (Depa) da Secretaria de Guarda e Trânsito de Rio das Ostras realizaram na sexta-feira, dia 12, a soltura de um jacaré da espécie Açu na Reserva Biológica União (Rebio). O animal foi recolhido pela Defesa Civil Municipal em uma rua do bairro Extensão Serramar no mesmo dia.

De acordo com Éderson Rodrigues, biólogo do Depa, jacarés não são incomuns na região próxima aos bairros Recanto e Extensão Serramar por ser uma área que costumava ser de charco e brejo.  "Com a urbanização, diminuiu a quantidade de jacarés, mas ainda há locais onde eles são vistos com certa freqüência, como o Canal de Medeiros", explicou. Ainda segundo o biólogo, o animal recolhido é uma fêmea com pouco mais de um metro e meio de comprimento. Essa espécie pode chegar a quase dois metros. "O jacaré se alimenta de peixes e aves, mas ao se sentir ameaçado, pode atacar o homem", alertou.

O jacaré foi encontrado no meio da Rua 16 por moradores. A Defesa Civil foi acionada e encaminhou o animal para o Depa "Nós entramos em contato com o Ibama solicitando a autorização para soltá-lo na Rebio, que é uma área protegida", relatou Sub-tenente Rangel, chefe do Depa. Rangel alerta à população que ao encontrar qualquer animal silvestre, entre em contato com o Depa através do telefone 1532 (emergência da Guarda Municipal). O departamento possui plantão 24 horas.

A caça, perseguição ou utilização, sem autorização dos órgãos responsáveis, de animais silvestres é crime sob pena de detenção de seis meses a um ano mais multa.

Tartaruga  Na quinta-feira, dia 11, uma tartaruga da espécie cabeçuda, foi recolhida pelo Depa enrolada em uma linha de pesca na Pedra da Tartaruga. De acordo com Éderson, as tartarugas costumam ficar próximas às pedras para se alimentar de peixes e algas e quando rede ou linhas de pesca são lançadas nesses locais elas acabam sendo pescadas acidentalmente ou se embolam na malha dessas redes e morrem sufocadas. Quem pescar tartaruga acidentalmente deve entrar em contato com o Depa.

A pesca da tartaruga no Brasil é proibida por lei. "Os pescadores que forem flagrados soltando redes perto dos costões rochosos e capturando tartarugas podem ser multados, autuados de acordo com a lei 9.605 dos crimes ambientais e ainda terem seus apetrechos recolhidos", frisou Rangel.

FONTE: Secretaria de Comunicação Social

Ronet

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.