Bolsistas de informática educativa começam a atuar em dois novos espaços digitais

Além de colaborar nas salas de informática das escolas e da sede da Secretaria, alunos vão atender visitantes do Parque dos Pássaros e idosos do Feliz Idade

Em 2006, uma lei municipal de Rio das Ostras possibilitou a criação do Programa Pró-Interação (Print), que garantiu a monitores de informática selecionados – estudantes entre 13 a 20 anos – bolsa mensal de meio salário mínimo. A ajuda de custo, porém, não é o maior benefício desses jovens que, graças ao programa, desenvolvem potenciais e auxiliam outras pessoas no uso da tecnologia. No início eram cinco bolsistas, desde o dia 1º de junho são 34 participantes. A partir desse mês, os monitores ganham mais dois locais para ação: o Espaço Web Digital do Parque dos Pássaros, atendendo aos visitantes, e a Sala de Informática do Parque da Cidade, auxiliando os idosos do Programa Feliz Idade, da Secretaria de Bem-Estar Social.

Os bolsistas do Print também auxiliam alunos e professores no uso da informática nas unidades municipais de ensino e no Núcleo Tecnológico Municipal, que funciona na sede da Secretaria de Educação. Esses jovens, que atuam 4 horas diariamente, de segunda a sexta, precisam estar frequentando a escola regularmente e ainda ter um bom desempenho nos estudos para continuar no programa.

 “Se o poder público ampliou o número de bolsistas, isso indica que o programa está dando certo. Os pais apoiam a participação dos filhos, dizendo que no Print eles aprendem e se tornam mais responsáveis, melhorando também nos estudos. Para receber a bolsa, os alunos precisam abrir uma conta bancária, sem falar que possuem  horários a cumprir e tudo isso possibilita que comecem a ter maior responsabilidade”, conta Johnny Charles, gestor de tecnologias educacionais.

Um dos novos bolsistas do programa é Paulo César Monteiro, de 16 anos, aluno do 6º ano do Ensino Fundamental na EJA – Educação de Jovens e Adultos no Ciep 257. “Sempre tive muita dificuldade nos estudos e, desde o ano passado, quando mudei para Rio das Ostras, meu desempenho melhorou. Aqui tive oportunidade de fazer cursos de informática e agora, como integrante do Print, quero melhorar ainda mais. Pretendo usar o dinheiro da bolsa para pagar outros cursos”, diz Paulo.

Para Jéssica Cristina Gallo, de 17 anos, o contato com a tecnologia começou muito cedo. “Meu pai é técnico de informática e, desde pequenininha, aprendi a usar o computador. Fiz alguns cursos e gosto de consertar, montar e desmontar a máquina”, conta a estudante do 2º do Ensino Médio na Escola Estadual Jacintho Xavier Martins. O destino do dinheiro da bolsa também já foi planejado: “Quero melhorar meu PC, que está um pouco desatualizado”.

 

FONTE: SECOM – PMRO.

Ronet

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.