Adolescentes recebem atendimento especial de Saúde em Rio das Ostras

Programa conseguiu reduzir de 30% para 16% o índice de gravidez entre os jovens

Não se discute que a adolescência é um período de grandes mudanças. Nessa fase, o atendimento de saúde também deve ser oferecido levando em consideração transformações físicas e emocionais. Rio das Ostras investiu no fortalecimento do seu Programa de Saúde do Adolescente e hoje colhe bons frutos, em especial no atendimento às gestantes adolescentes e na prevenção da gravidez não planejada nessa faixa etária, que teve índice reduzido de 30% para 16% nos últimos anos.

O serviço de saúde do adolescente tornou-se oficialmente um Programa de Saúde a partir de 2013, voltado ao público de 10 a 19 anos. Nesse ano, a equipe, que antes contava com cinco profissionais, expandiu-se para 24 servidores, entre médicos, enfermeiros, nutricionistas, técnicos de enfermagem, fisioterapeutas, dentistas, assistentes sociais e agentes comunitários de saúde.

Outra estratégia foi ampliar os núcleos de atendimento, que agora funcionam em seis postos de saúde, no Âncora, Nova Esperança, Cidade Praiana, Cantagalo, Rocha Leão e Nova Cidade. Os chamados Núcleos de Atenção Integral à Saúde do Adolescente – Nasa oferecem consultas em várias especialidades, além de bate-papos entre os jovens e os profissionais, com uma média de 450 atendimentos mensais.
Foi criado ainda, neste ano, o atendimento itinerante. Com apoio de um trailer, a equipe de Saúde do Adolescente vai até os locais mais distantes, como a área rural, para realizar consultas de saúde e Pré-Natal.

CONVERSAS – Nas rodas de conversa, os adolescentes tiram dúvidas e falam sobre saúde, sexualidade, drogas, relacionamento familiar, alimentação, violência, gravidez, conflitos na escola e vários outros temas. Essa escuta e troca de experiências servem para que o jovem sinta-se acolhido, conheça melhor seu corpo e comportamento e possa tomar decisões mais claras sobre sua vida.

Andréa Viana, diretora do Departamento de Programas de Saúde, explica que um dos principais objetivos desse trabalho é aproximar o jovem da rede de saúde. “Montamos uma equipe multiprofissional para oferecer um atendimento integral. Com isso, obtivemos resultados importantes, já que o jovem se sente mais seguro, acolhido. Esse amparo é um diferencial, por exemplo, no caso das adolescentes gestantes”, diz Andréa.

Ela destaca ainda, como resultado importante dessa aproximação entre a rede municipal de saúde e os jovens da cidade, a expressiva redução do índice de gravidez na adolescência. “Nossos levantamentos mostram que os adolescentes têm informação sobre contracepção, mas, muitas vezes não têm acesso aos métodos ou mesmo não têm o apoio necessário para o uso desse método; o que ele recebe no Programa”, conta a diretora.
A diretora faz questão de esclarecer que, por lei, qualquer adolescente tem o direito à privacidade em sua consulta de saúde, sem a presença de pais ou responsáveis – a não ser em casos de risco de vida. E em Rio das Ostras todas as unidades respeitam esse direito.

PRÉ-NATAL – Andrea conta que os avanços no Programa também permitiram outra conquista: hoje a grande maioria das adolescentes grávidas de Rio das Ostras, cerca de 75%, realiza seu Pré-Natal em um dos núcleos.
Além das consultas tradicionais de saúde, com ginecologista, as adolescentes recebem apoio de nutricionistas, psicólogos, assistente social. A promoção de outras atividades, como hidroterapia, o ensino da shantala (massagem oriental para bebês) e os grupos de conversa entre gestantes também têm fortalecido o vínculo dessas meninas com as unidades de saúde e, por consequência, com a qualidade do pré-natal realizado. Só este ano, 103 jovens grávidas são acompanhadas pela Secretaria de Saúde de Rio das Ostras.

Rafaele Baptista, de 17 anos, está no 9º mês de gestação. Ela realiza o pré-Natal na rede municipal e ainda participa das outras atividades do Programa. Esse atendimento integral ajudou a jovem a superar o “susto” da gestação imprevista.
“Quando fiquei sabendo que estava grávida, fiquei assustada. Mas recebi aqui no posto de saúde carinho, atenção, orientação…me senti acolhida. Estou mais tranquila e me sinto mais preparada para ser mãe”, afirma a adolescente, que diz que o grupo é “como uma família; que orienta e diverte”.
Entre os próximos desafios do Programa está a ampliação da oferta de serviços, incluindo as chamadas práticas integrativas de Saúde, como yoga, meditação e homeopatia. A Secretaria de Saúde também aposta na aproximação com a escola e nas parcerias com projetos voltados para os jovens, como o “Cultura de Paz”, que hoje usa o hip hop e as danças de rua para falar de saúde e prevenção às drogas.

FONTE:
Secretaria de Comunicação Social
Departamento de Jornalismo

Ronet

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.