Rio das Ostras . Net



twiiter RSS FEED 2.0 facebook
303x130 painelMobile costazul area

Rio das Ostras investe na formação de professores para atuar com alunos surdos

A educação dos surdos, que ganhou destaque nacional ao ser tema da redação do Enem deste ano, tem recebido especial atenção da Prefeitura de Rio das Ostras.

Na Rede Municipal de Ensino, que conta com seis intérpretes da Língua Brasileira de Sinais (Libras), estão matriculados 11 alunos surdos atendidos por professores de apoio e pelas salas de recursos multifuncionais.

 

Considerada como primeira língua dos surdos, a Libras passou a ser obrigatória no currículo do magistério com a promulgação da Lei Federal 10.436, de 2002. O Instituto Municipal de Educação de Rio das Ostras (Imero) oferece essa disciplina no Curso de Formação de Professores. Para os que não tiveram a oportunidade de aprender a língua de sinais ou desejam se aperfeiçoar na mesma, a Coordenadoria de Avaliação, Acompanhamento Pedagógico e Formação – Casa da Educação oferece aulas gratuitas de Libras.

 

Com mais de 20 anos de experiência com alunos surdos, Felipe Giraud é intérprete de Libras e leciona no curso que acontece na Casa da Educação. Segundo ele, é importante para o professor conhecer a língua dos surdos e respeitar a cultura dessa comunidade. “Assim como acontece com todos os nativos de um idioma, os surdos têm dificuldade para dominar completamente uma segundo língua que, no caso deles, é o Português. O fato de poderem contar com o enunciado das questões do Enem em Libras foi um grande avanço”, acredita o educador.

 

 

Quando é o único surdo da família, muitas vezes o aluno chega à unidade de ensino sem saber Libras. Esse estudante vai precisar então aprender a língua de sinais para depois conseguir assimilar as demais disciplinas. “Com um professor de apoio bilíngue, que domine também Libras, fica muito mais fácil para o surdo progredir nos estudos”, enfatiza Felipe.

 

 

O quadro da Rede Municipal conta com quatro professores de Libras, sendo dois deles surdos, e seis intérpretes da língua de sinais. A atuação desses educadores vai da creche ao 9º ano do Ensino Fundamental, garantindo uma educação bilíngue, conforme preconiza a lei federal.

 

 

AULAS DE LIBRAS - Com 35 alunos, o curso de Libras ministrado na Casa da Educação está trazendo novos conhecimentos e reflexão para os profissionais. “Quando fiz a Formação de Professores no Colégio Estadual Jacintho Xavier Martins tive uma introdução à Língua Brasileira de Sinais, mas desejava aprofundar esse aprendizado. Para nos aproximar dos alunos surdos, precisamos saber Libras, que é a primeira língua deles”, afirma uma das cursistas, Gabriela Costa.

 

 

A professora Fernanda Roiffe, responsável pela Sala de Recursos Multifuncionais da Escola Municipal Prefeito Paulo Pinheiro, também frequenta o curso. “Comecei a trabalhar com uma aluna surda no ano passado e senti a necessidade de dominar melhor a Língua Brasileira de Sinais para auxiliá-la no aprendizado”, conta Fernanda, que ainda atua como professora regente da Educação Infantil.

 

Todas as 45 escolas da Rede Municipal de Rio das Ostras estão aptas a receber estudantes surdos. Além das aulas de Libras, a Coordenadoria de Avaliação, Acompanhamento Pedagógico e Formação – Casa da Educação oferece o curso Estratégias para Inclusão do aluno com Deficiência Auditiva e Surdez.

 

FONTE: ASCOM - PMRO.

Imprimir Email