Rio das Ostras . Net



twiiter RSS FEED 2.0 facebook
303x130 painelMobile costazul area

Campanha do Laço Branco mobiliza homens para o fim da violência contra a mulher

 

Em Rio das Ostras, evento reuniu efetivos da Guarda Municipal e servidores da Secretaria de Bem-Estar Social. No Brasil, mais de 4 milhões são agredidas anualmente

 

Segundo o Fórum Brasileiro de Segurança, mais de 4 milhões mulheres são violentadas fisicamente no Brasil. A situação é preocupante em todo mundo e isso tem mobilizado pessoas de quase 160 países para a promoção dos 16 dias de ativismo pelo fim da violência contra as mulheres, entre os dias 20 de novembro e 6 de dezembro, culminando com a Campanha do Laço Branco. Neste dia, ativistas utilizam uma fita de cor branca no pulso para marcar a luta.

 

Em Rio das Ostras, a programação do Laço Branco aconteceu na tarde desta terça, 5, no Centro de Referência de Assistência Social – Creas. O evento reuniu o efetivo da Guarda Municipal e servidores da Secretaria de Bem-Estar que participaram de uma roda de conversa com o tema “Masculinidade e Violência Doméstica”, ministrada pelo psicólogo Flávio Guilhon.

 

“Muitos de nós, homens, dizemos não colaborar para a violência contra a mulher, mas até quando? Dividimos o trabalho doméstico com elas? Cuidamos dos filhos com elas? Como estamos tratando nossas mulheres no dia a dia? É sempre importante nos fazermos esta pergunta”, disse Flávio durante palestra.

 

Para a secretária de Bem-Estar Social, Elizabeth Bousquet, estas datas são de extrema importância e que precisam ser lembradas. “Fico muito feliz porque no Creas estes dias são sempre lembrados. E é necessário que se mobilize e mostre a importância de uma sociedade menos violenta”, afirmou durante a abertura do Laço Branco.

 

Ainda na programação, os participantes assistiram a animação “Minha Vida de João”. O filme questiona homens jovens sobre a forma como foram socializados e os papéis de gênero que foram levados a assumir. O vídeo mostra a vida de João e os desafios que enfrentou durante a vida, sua educação no contexto familiar, situações de violência doméstica, sua primeira experiência sexual, a gravidez de sua namorada, o primeiro emprego, entre outros.

 

Para o Guarda Municipal Gilson da Silva Carvalho, foi uma tarde de muito aprendizado. "Minha missão como GM é colaborar, também, pela integridade física das pessoas. Precisamos de uma sociedade menos violenta e meu trabalho permite colaborar diretamente para isso. A palestra e os vídeos reforçaram em mim este chamado”, contou.

 

Representando o Coronel PM Eduardo, secretário de Segurança Pública, a Inspetora Narciso participou da mesa de abertura e relatou a importância do fortalecimento da Guarda Municipal. “Voltamos a ser lembrados e estar aqui é uma comprovação disso. Debater estes temas e se envolver com questões como a violência contra a mulher é entender a GM como uma colaboradora para a diminuição da violência”, relatou.

 

CAMPANHA – A Campanha 16 dias de ativismo pelo fim da violência contra as mulheres é uma mobilização anual praticada por atores da sociedade civil e poder público engajados nesse enfrentamento. Neste período, a Campanha Laço Branco distribui laços brancos para homens que, ao aceitarem a fita, estão se comprometendo a combater a violência contra as mulheres em todas as suas formas.

 

VIOLÊNCIA – Dados do Data Folha mostram que, no Brasil, diariamente 12 mil mulheres são violentadas de diversas formas. Além da física, elas são agredidas psicologicamente, quando abrange humilhação, privação de liberdade, trabalho e estudo, intimidação e ameaça de agressão.

 

Também existe a violência sexual quando são forçadas a manterem relações sexuais sem consentimento, palavras obscenas, prostituição forçada, participação forçada de pornografia, entre outros. E a Patrimonial acontece com a retenção de bens.  

 

CREAS – O Creas constitui-se uma unidade de proteção social especial de média complexidade, que se destina a indivíduos e famílias cujos direitos estejam ameaçados ou violados, mas que mantêm vínculos de pertencimento. Seu foco é fortalecer a função protetiva. 

 

A Prefeitura de Rio das Ostras ampliou o atendimento para mulheres vítimas de violência doméstica intrafamiliar. Entre as ações estão a acolhida especializada, acompanhamento no Programa de Atendimento Especializado para Famílias e Indivíduos em Situações de Violação de Direitos – PAEFI, Roda de Conversas e Orientação Jurídica.

 

Os atendimentos foram transferidos para o Centro Especializado de Referência de Assistência Social – Creas, localizado na rua Araguaia, nº 150, Balneário Remanso. O Creas funciona de segunda a sexta-feira, de 8h às 17h. 

Denúncias de casos de violência contra a mulher podem ser feitas pelo telefone 180. Em Rio das Ostras, o Creas fica localizado na Rua Araguaia nº 150, em Balneário Remanso.

 

FONTE: ASCOM - PMRO.

Imprimir Email